Wednesday, July 27, 2005

EU NÃO SEI SAMBAR!!!

É um choque. Lidar com os estereótipos do brasileiro é uma coisa engraçada. Eu não estava acostumado com isso.
Quando você vai os Estados Unidos não tem esse problema. Eles sabem que o Brasil é um país - nem todos - mas não sabem se é para cima ou para baixo, para os lados ou em outro planeta. Os intelectuais talvez saibam que aqui tem carnaval e os realmente bem informados dirão que ouviram falar de um jogador de soccer - porque futebol para eles é aquele jogo de xadrez protagonizado por ogros - chamado Péle (com acento agudo na primeira sílaba mesmo).
A única superpotência do planeta nos ignora. E quando não nos ignora coloca algum infeliz falando espanhol para representar um brasileiro quase figurante em algum filme de ação meia-boca.
Mas quando você está no oriente médio as coisas são diferentes. Aqui todos amam o Brasil. Óbvio que é um Brasil distorcido, mas interessante. É um Brasil onde TODOS jogam futebol, dançam samba e vivem num carnaval eterno.
Para eles o Brasil é o maior país libanês do mundo - tem o dobro de libaneses do Líbano.
Não aguento mais ouvir coisas sobre o Ronaldinho, o Ronaldo dentuço, perguntas sobre o Robinho e até sobre jogadores brasileiros obscuros que nem eu começo.
Tenho que estar preparado para os olhares horrorizados quando conto que não jogo futebol, mas sim basquete.
Futebol para mim só em churrasco - em geral acompanhado de boas doses de cerveja, que ajudam a melhorar a qualidade da minha malemolência de lateral direito driblador - ou para neutralizar meu senso do ridículo, o que dá no mesmo.
Hoje vieram me perguntar se eu era um grande dançarino de samba. Bom, quem já me viu dançando sabe que sou um passista que segue a escola do Príncipe Charles. Mas eu disse que realmente sei como me expressar na Marquês de Sapucaí - eles nunca saberiam a diferença. Se eles virem um local vou dizer que sou adepto do samba-força, ao invés do samba-arte.
A última coisa engraçada que aconteceu foi um papo com o pessoal aqui da agência em que uma garota me perguntou se era verdade que no carnaval todo mundo transava. Aí veio um outro cara e perguntou se era verdade que as pessoas transavam na praia, lá no Rio. E a minha cara, com fica? Digo com a voz do padre Quevedo "É MENTIRA, ISSO NON ECZISTE!!!".
Olha só a imagem que os selvagens dos trópicos estão passando. Por isso eu sempre detestei o carnaval. Essa festa pagã promove um desserviço para a imagem nacional que precisaríamos de umas 126 Embraers para mudar. Tudo bem, o Clóvis Bornay still rules na nossa memória com suas fantasias do tipo "Nagô Reluzente na Corte do Rei Salomão e sua Natureza Frondosa", mas vamos maneirar...
Levante a mão aquele que já assistiu ao desfile das escolas de samba inteirinho. (mas abaixe rapidinho, porque se eu te pegar...)
Pois é, os Brasis estão por aí...cada um tem sua versão.
Achou ruim? Agora imagina se você fosse de Bahrain e perguntasse para as pessoas o que acham de lá.
Viu como sempre tem alguém pior que você?

1 comment:

Portella said...

Ainda bem que esqueceram do mensalão do PT.