Friday, July 08, 2005

As delicias do nao ser.

Vivo uma sensacao de angustia constante.
A gente nao percebe mas nosso dia eh quase inteiramente composto de tarefas automaticas. Voce nao pensa quando acorda e vai escovar os dentes, nem quando prepara seu sanduiche ou sucrilhos enquanto le o jornal. O transito ateh o trabalho eh como se fosse um sonho - ou pesadelo. E quando voce acorda estah no escritorio. E tome mais um monte de tarefas automatizadas que a gente nem percebe. Chega o almoco e voce encontra os mesmos amigos e houve as mesmas historias e reclamacoes. Ao final do dia mais transito - sonho ou pesadelo - uma passada na padaria ou no supermerado, para comprar aquelas coisinhas que sempre estao faltando, e voce estah em casa. Aih ve os mesmos programas que costuma assistir todos os dias.
Nao, eu nao estou dizendo que o nosso dia-a-dia eh enfadonho ou sem valor. Mas sim que montamos nossa rotina em cima destas tarefas automatizadas. Se tivessemos que pensar, racionalizar tudo antes de fazer cada coisa seria quase insuportavel, ao final do dia estariamos exaustos - soh de ter acordado, ido ao supermercado e voltado.
Eu sinto que a sensacao da passagem do tempo acontece de verdade quando passamos por disturbios neste fluxo de eventos. Quando voce encontra algum amigo que nao ve ha muito tempo, quando tem uma tarefa ou responsabilidade nova no trabalho, quando vive uma situacao inesperada...
Quandos os dias se repetem voce para olha para tras e comenta como o tempo passou rapido. Dias, semanas, meses, anos se vao e nem percebemos.
O que eu tenho vivido aqui eh totalmente o oposto.
Vivo uma zona nebulosa em que nada faz sentido. Para arrumar um copo d'agua eu tenho que pensar em como e onde encontra-lo. Cada visita ao supermercado eh um suplicio - nao sei o que comprar, se estah barato ou caro, se eh o que eu estou pensando. Todas essas pequenas coisas demandam o mesmo grau de raciocinio que antes eu gastava resolvendo os maiores problemas criativos.
E nem estamos falando daquelas tarefas ainda mais complexas e chatas - e quando nao fazem nenhum sentido mesmo quando voce estah no seu pais natal. Coisas como alugar um carro, arrumar um celular e pedir um sanduiche para um garcon que veio da Malasia sao coisas tao dificeis e cansativas quanto resolver problemas de calculo diferencial no meio de uma aula de spinning.
Ao final do dia estou drenado - e desejando o nao ser. Essa sensacao deliciosa de que o mundo faz sentido, e que voce consegue passar um dia inteiro por ele como se tivesse saido para uma caminhada leve de 15 minutos.
Eu me lembro que naquele texto "wear sunscren". Tem uma passagem lah que diz o seguinte: tente fazer todo dia algo que tenha medo.
Acho que estes ultimos dias me deixaram com saldo suficiente para passar os proximos 45 anos da minha vida levando uma vida em que a coisa mais emocionante vai ser assistir a novela das 6.
Mas vamos lah que, se a vida fosse simples, vinha com manual de instrucoes.

Cambio e desligo.

1 comment:

Portella said...

“O que você fizer será mais importante do que aquilo que conseguir.E como você se sentir por isso,será ainda mais importante do que o que tiver feito.”
Jerry Gilles.