Thursday, September 01, 2005

Como falam!

Eu sempre achei que eu falasse bastante. Mas nada se compara com os árabes. Eles preenchem todos os espaços disponíveis com palavras.
Durante a filmagem aqui em Beirute éramos eu, o pessoal da agência, o pessoal da produtora de comerciais, o diretor e o diretor de fotografia.
O diretor era um holandês escroque parecido com o Jeff Bridges. Um dos caras mais desagradáveis que eu já conheci. E olha que trabalhando em publicidade eu já tive a oportunidade de ver todo tipo abominações. Quem vê rolo não vê coração. (N.do E.: Rolo em propaganda é a maneira que a o povo de propaganda chama o conjunto comerciais gravados por um diretor, agência, produtora ou cliente. Pode ser videocassete, DVD ou, para os antigos, um rolo mesmo)
Para nossa sorte ele ficava longe. Bem longe. E acompanhávamos a filmagem através de uns monitores.
Confortavelmente instalados em nossas cadeiras e vendo a filmagem de longe, o truque que a produtora usa para nos manter felizes é dar comida incessantemente. Em geral porcaria - mas muita porcaria.
Come-se te tudo muito.
Doces, salgados, refrigentantes, sucos. Tem até comida.
Tudo isso para disfarçar o marasmo que é uma filmagem. Nada acontece. Cada tomada demora horas para ser aprontada, depois um tempão para ser filmada. Nesse meio tempo você não tem nada para fazer. A não ser comer e falar.
E os árabes falam. Se bem que "árabe" é um conceito amplo. Aqui em Beirute tem muitos cristãos descendentes de franceses por exemplo. Todo mundo fala francês e árabe. Tem também muitos muçulmanos e tem os misturados. Não é clara a separação. Mas vou tratá-los por árabes para ficar mais fácil. Principalmente porque eles falam árabe o tempo todo.
E como falam!
E para o brasuca ignorante na linguagem aqui é como se estivessem falando grego. Não. grego ia ser mais fácil. Até tem umas palavrinhas em comum. Onomatopéia, maratona, égide, prosopopéia, Temístocles... Só coisas úteis para se falar num papo amigo.
Eu fico ali, de lado e eles falam, falam e falam. Onde arrumam tanto assunto?
Depois de um tempo eu desenvolvi a técnica de entrar no modo Sleep. Se ficar sem um impulso sonoro reconhecível por 15 minutos, desconecto.
Sou reativado pelo som do meu nome. Quer dizer que é a hora de dar umas opiniões e fazer cara de interessante. Desta vez em inglês.
Mais uma vez quero agradecer a São Miguel Paulo 3, padroeiro do iPod. Sem sua ajuda este post não seria possível. Ia morrer de tédio.
A filmagem acabou anteontem e neste momento estou apreciando o silêncio enquanto trabalho do meu quarto do hotel.
Será que a gente fala tanto assim?

1 comment:

Branda said...

Como é que se pronuncia Guilherme em árabe?