Sunday, October 16, 2005

Gui 1x0 Tim Delaney

A campanha de Emirates fez um sucesso e recebi um monte de comentários positivos de todos os lados.
E-mails bacanas, pessoas me parando no corredor.
Me faz quase ficar feliz por ter passado por 3 meses de privações e pressões enormes de todos os lados para entregar esta campanha.
Eu já estava acostumado a ter muita gente envolvida em projetos grandes, mas agora foi demais.
Do CEO da agência até o atendimento júnior todo mundo tinha algo a dizer. E o panaca aqui tinha que gerenciar todas as expectativas e tentar entregar um material coerente.
A primeira apresentação foi na semana passada, na terça, dia 11. Claro que depois de uma noite em claro. Para não perder o costume das grandes concorrências.
Foi muito cansativa. Dormi só uma hora e vim correndo para a agência para terminar as últimas peças.
Tudo terminado fiquei esperando a hora de entrar na reunião, que se arrastava por horas. Sentadinho numa poltrona por umas duas horas. Sem comer nada desde a manhã. E isso eram 4 horas da tarde.
Mas a adrenalina estava lá - e é disso que eu preciso quando vou apresentar algo.
A apresentação foi ótima. Pelo menos eu me senti ótimo e o feedback foi excelente. Disseram na hora que o trabalho é muito melhor do que o apresentado pela Leagas Delaney de Londres, pela Saatchi Saatchi de Hamburgo e por uma agência poderosa de Nova Iorque que eu não lembro o nome.
Melhor. No dia seguinte eles disseram que iríamos apresentar para os rolas-grossa de Emirates. Caras que nunca dão as caras para agência nenhuma, se é que você entende.
E essa apresentação foi hoje. Estou no escritório desde as 7h30 da matina. Fomos para a Emirates ao meio dia e a apresentação começou uma da tarde. De novo sem almoço e com muita adrenalina - e agora com casa cheia.
A apresentação privê para os roludos acabou sendo um festival com mais de 15 pessoas do lado do cliente.
Mais uma vez tudo foi muito bem e, ao final, eles colocaram todas as campanhas na mesa e começaram a fazer comentários.
Nestas horas em geral eu desligo porque não tem nada que me diga respeito. 90% são comentários bestas que o pessoal mais júnior faz para impressionar os chefes. E em geral são um porre. De vez em quando alguém faz uma pergunta e você responde da maneira mais apaixonada possível - e depois volta para a letargia.
Essa letargia também é causada pela excitação da apresentação - no final de uma apresentação importante você tem a sensação de que é um pedaço de maria-mole. Não dá vontade de fazer mais nada.
O pior é que você volta e tem toneladas de coisas para fazer.
Assim é a vida.
Muito bom para uma agência que nem tinha sido convidada para a concorrência no começo.
Entramos de bicões e mandamos ver.
A seguir cenas dos próximos capítulos.

1 comment:

Alexandre Guerreiro said...

Boa Gui,

Detona esses caras como você detonava no garrafão da Vasp. Abraço,

Ale