Sunday, November 06, 2005

Vamos a la playa.

O final de semana ultra-prolongado do fim do Ramadan me deu a oportunidade de fazer várias coisas que fazia tempo que eu tinha vontade de fazer.
Nada era uma delas.
Outra, era finalmente visitar a praia.
Poucas pessoas vão acreditar, mas desde que cheguei a Dubai não fui à praia. Sempre gostei muito de praia, mas a experiência aqui tem sido tão intensa que acabei deixando de lado a idéia, até que recebi um ultimado de minha digníssima e tive que ceder.
Como era sábado e neste dia a principal praia fechada é reservada para mulheres e crianças (meninos só até 8 anos de idade!) resolvemos nos aventurar a ir em uma praia mais afastada na vizinhança de Jebel Ali.
Para quem não sabe - até pouco tempo eu me incluiria neste grupo - Jebel Ali é o lugar onde foi construído o maior porto artificial do mundo e que, dizem, pode ser visto do espaço.
É lá também que eles estão construindo uma daquelas ilhas artificiais com o formato de palmeiras - gigantes e cheias de construções de alto luxo. The Palm Jebel Ali, o empreendimento irmão do The Palm Jumeirah.
Mas a praia....ah a praia...
Pegamos as indicações no guia e lá fomos nós.
Quando chegamos pertinho da praia não tinha mais estrada, só uma estrada de areia batida, mas cheia de marcas.
Vamos por aqui.
Depois de andar um pouco chegamos na dita cuja. E ela estava cheia, lotada de 4x4, que passaram da categoria de figurantes para atores principais nesta minha história de Dubai, tamanha a quantidade.
A galera vai até a areia com elas, monta umas tendinhas e aí começa a farofa.
Tudo digno de Praia Grande, com direito até a churrasco feito na areia.
Fomos indo, indo e...não iu.
O nosso carrinho atolou na areia.
Escolado que já sou depois de ter dado esta mancada outras vezes, parei instantaneamente.
A situação parecia desesperadora, mas lembre-se que tinha mais de 500 4x4 nas redondezas.
Não foi preciso. Desci e consegui, com a ajuda da minha co-pilota no volante, empurrar o carro para fora do atoleiro. Me respeitei.
Paramos o carro num lugar seguro - leia-se areia dura - e fomos para a praia.
Retrato de um pesadelo.
A primeira imagem marcante depois dos carros foi um grupo de malas dirigindo quadriciclos no meio da praia. Não sei o que é pior, o barulho ou os caras passando a toda do seu lado.
E não é só isso!!! Tem mais!!!
Os 4x4 circulam a toda pela areia, tanto no meio quando perto da rebentação (ou arrebentação?). Me senti - nos sentimos - como aquele sapo no jogo antigo de Atari.
Só que a gente não tinha que evitar ser atropelado na rua, mas sim na praia.
Ah, mas pelo menos tinha o mar tranquilo...
Não.
Outro bando de joselitos ficava passando de Jet Ski na beirada, fazendo malabarismo ou puxando outros maletas de wake board.
Pelo menos a Carolina de divertiu. Os papais estavam muito tensos tentando protegê-la dos 48 tipos de perigo disponíveis na praia.
Saímos fugidos de lá.
Para quem veio para cá buscando uma cultura nova, foi uma surpresa encontrar os farofeiros da baixada por aqui.
Só faltou canja na garrafa térmica e Ki-Suco.
Visite Jebel Ali. Mas não me chame.

2 comments:

Anonymous said...

Que beleza! Finalmente me dei conta de que vocês têm um blog. Li todas as estórias, e tirando aquelas que você ficou muito emotivo eu adorei todas.

Abraços do mauro, direto da McCann.

Paulo Vita said...

hahahahaha....pelo menos nesta praia dá pra se sentir em casa

Abração Guimba
Paulo