Monday, November 13, 2006

Frio na barriga?

Ontem foi oficialmente meu último dia na Impact BBDO. É sempre uma coisa estranha dizer adeus a um ambiente de trabalho.

Não parece mas o espaço físico, os móveis, os computadores, o carpete cinza, a minha janela dando para o palácio do Sheikh, sua pista de corrida de cavalos particular e suas cavalariças com cavalos de muitos milhares de dólares acabaram se transformando em uma parte essencial do que Dubai representa na minha cabeça tão cheia de informação desordenada.

Dar uma última passada lá para dar um tchau e depois entregar o seu cartão de acesso é realmente esquisito. Os nossos lugares de trabalho, sem que a gente perceba, acabam fazendo parte da gente - tanto como a gente acaba fazendo parte dos lugares.

Agora é hora de recomeçar - e sem janela para palácio.

Meu grande Andrej - um diretor de arte sérvio que é uma das figuras mais queridas - me perguntou ontem:

"Você não está com um frio na barriga?"

Eu parei para pensar e percebi que não.

Acho que um pouco porque depois de algum tempo de carreira você percebe que trabalho é trabalho em qualquer lugar. Se você é uma farsa, vai continuar sendo. Se ninguém descobriu até agora, as chances são pequenas que desta vez você seja desmascarado. Se você é bom, nada vai mudar. Se você é um gênio, sorte sua - mas não conte para ninguém. E se você não sabe em qual categoria você se enquadra, provavelmente vai continuar vivendo com a benção da ignorância.

Claro que isso conta para não me fazer perder o sono, mas tem mais.

Esta mudança para Dubai, Emirados Árabes Unidos, Oriente Médio, Hemisfério Norte, foi muito radical. Muita coisa ao mesmo tempo: país, língua, sotaques, cultura (ou culturas), empresa (ou agência, se você leitor for publicitário), cultura empresarial, responsabilidade, clientes, leis, burocracia, temperatura, comida, nomes de pessoas, feriados, trânsito, carros diferentes, amizades, dias de final de semana, fuso horário, moeda, ausência de amendoim Mendorato...

É tanta coisa que é quase como nascer de novo - com a vantagem que desta vez você não tem que aprender a passar sem fraldas.

A sensação é de que qualquer mudança agora não assusta mais - e nem causa o impacto que costumava causar. E nem frio na barriga.

Afinal, é só um emprego novo.

7 comments:

Dany said...

mas sentir frio na barriga tambem eh bom e da saudade quando vc fica mto tempo sem senti-lo...

Anonymous said...

Gui, é inspirador ver você sempre ousando, buscando novos desafios e, claro, aumentando seus patrimonios.
Acho que você, ou é bom demais, ou é um gênio, pois as farsas não podem ser mantidas por muito tempo, nem para muita gente. Um abração!! Portella

Rossana said...

Parabens, Gui! Fiquei super-feliz com a novidade, pena que o novo emprego nao foi mais perto da Colombia....
Rossana

Ádara said...

Guimba! Boa sorte na casa nova!
Vou comer uns mendoratos em sua homenagem!

Beijão

Branda said...

Está ralando muito no emprego novo e não consegue nem escrever um mísero post com as primeiras impressões ?!
Esse blog já foi bom...

fernanda said...

brave guy

Tulio Paiva said...

Pra mim vc é louco. Mas, pensando bem, quem não é?

Abrassss, véio. Toda a sorte do mundo pra vc.

Tulio

P.S.: O Gabriel, o segundo herdeiro dos Paiva, chega em fevereiro. ;-)