Saturday, December 02, 2006

Frio na barriga II - A Missão.

Começar um post com uma referência a um filme do Rambo que tem mais de 20 anos é uma coisa engraçada.

Bom, as quase 2 semanas sem um post tiveram uma razão: estou trabalhando como um louco.
Nunca antes na minha carreira uma mudança de trabalho foi tão tranquila. Não perdi o sono, não fiquei ansioso, não fiquei tenso. Foi tão tranquilo que nem parecia que estava acontecendo. Parece que a minha experiência inicial de chegar aqui em Dubai foi uma coisa tão intensa que me deixou maduro ao ponto de encarar qualquer evento da maneira mais tranquila do mundo. Me senti como um novo 007. Daniel Craig, cuide-se.

Ou pelo menos assim pensava eu.

No primeiro dia fui recebido pelo diretor de criação executivo - o Shahir, um indiano que passou quase a vida inteira em Dubai e que é um criativo excepcional.

Ele me contou um pouco da situação atual da agência, falou sobre os clientes e começou a falar sobre o meu papel no futuro.

Aí veio o frio na barriga.

Ele me mostrou primeiro a lista de pessoas pela qual eu seria responsável: 12 pessoas diretamente e mais um monte indiretamente. A lista de clientes: 21. Caramba, isso é mais do que o número de clientes das duas últimas agências que trabalhei no Brasil - somadas.

Entre eles estão:
Ford - e duas divisões Lincoln e Mercury, que são empresas separadas em termos de marketing - LG, Hitachi, Land Rover, Colgate, Emaar (uma empresa de real estate - incorporadora - que tem projetos enormes no mundo inteiro, incluindo o Burj Dubai - o prédio que vai ser o mais alto do mundo)...e por aí vai.

Muito trabalho e muita expectativa por conta dos clientes de receber sempre um trabalho extraordinário.

A expectativa da agência:

1 - Você tem que melhorar a qualidade criativa do seu grupo - são dois grupos de criação - o outro é tão grande quanto o meu, com outras contas enormes.

2 - Mudar a mentalidade das pessoas.

3 - Ganhar prêmios, muitos prêmios.

Fora isso tem aquele problema eterno de aprender o nome das pessoas, sendo que aqui isso significa aprender o nome e só depois aprender o nome das pessoas. Não tem nenhum nome normal. São Shradha, Poorna, Swapna, Umram, Jeevan, Moosa, Zeina, Komal, Dodong, Jobi, Muhannad, Anjum, Shamrock, Kunal, Sanjay, Ashraf, Dinesh...e um Danni.

Por isso "dude" e "man" viraram a minha versão o local de "cara" e "grande" - opções para quando você não faz a mínima idéia de como chama o indivíduo.

Muita expectativa. Muitos nomes, muitas personalidades diferentes. Muito, muito trabalho.

Um puta frio na barriga.

E um ar-condicionado frio para cacete.

Tá com medo, por que veio?

Para o alto e avante!

3 comments:

Anonymous said...

Gui, estou na torcida por você! Abraço,

Ale (Basquete)

Anonymous said...

Oi Gui,
Até que enfim uma pista de que vc é
humano como nós outros!
Que os Deuses estejam do seu lado...
Bjs
Iris

Adriana said...

Gui... vc consegue! eu sei! ;-) feliz 2007!
Beijos,
Dri - Titcha